São Brás de Alportel... onde VIVER SABE BEM!

ver mais vídeos

Discurso Direto | maio 2020

PUBLICADO EM:14 de maio

Notícias São Braz: Passados 2 meses desde o início desta pandemia, a Câmara Municipal reviu os apoios das associações, o que tem gerado algumas dúvidas nos nossos leitores que gostaríamos de ajudar a esclarecer.

Vitor Guerreiro: Agradeço a questão e a oportunidade Tal como falávamos no passado mês, estamos a viver um momento totalmente inesperado, que a todos nos deve unir, no combate a esta crise que começou por sanitária e cedo se tornou económica e social. Esta é a nossa convicção mais profunda-

É naturalmente neste contexto, no âmbito de todo um plano de crise que desde cedo começámos a implementar, e em coerência com a gestão séria, transparente e rigorosa dos fundos públicos que fazemos e a par de um conjunto de muitas medidas tomadas, que se enquadrou o exercício de reanálise que precisámos fazer ao plano de apoio ao associativismo, no que diz respeito apenas e só às associações culturais, recreativas e desportivas que assinaram protocolos de cooperação e que recebem apoios mensais regulares. A revisão que foi proposta a estas associações, em reuniões que realizámos com cada uma destas, diz respeito apenas à redução total dos valores correspondentes aos apoios previstos para eventos que estão a ser cancelados e de 25% do valor previsto para atividades regulares da associação, atendendo a que as mesmas se encontram suspensas durante pelo menos um quarto do ano de 2020. Esta revisão não incidiu sobre os apoios às infraestruturas e teve justamente em conta as despesas fixas que algumas associações têm. Estamos a falar, em grande parte, de valores na ordem das poucas dezenas de euros. Esta revisão em nada retira o reconhecimento do imenso valor das associações e do seu trabalho enquanto motores da comunidade, que nos merecerão sempre total respeito e apoio. Esta medida será reavaliada no próximo mês de junho, está aliás já marcada nova reunião com cada uma das associações e caso se verifiquem alterações na realidade e nas necessidades das associações, poderemos acionar apoios suplementares, que ficaram previstos no Fundo Municipal de Emergência.

 

NSB: A propósito desse Fundo de Emergência que referiu, o que podem os são-brasenses esperar de apoios?

V.G.: Os são-brasenses podem esperar que continuemos a fazer todos os esforços para apoiar a população, as famílias e as empresas e toda a comunidade em geral.

Reforçar as verbas da Plataforma de Ajuda Alimentar e de todas as respostas sociais foi aliás a primeira medida que tomámos. Depois, com recurso a uma revisão orçamental, juntámos verbas retiradas de muitos investimentos que tínhamos previsto mas que neste momento não consideramos prioritários, de modo a perfazer o valor de meio milhão de euros que constituiu a base deste fundo que poderá ter que ser reforçado. A prioridade são as pessoas, na nossa terra ninguém pode passar fome, nem ficar sem os bens e os cuidados essenciais. Esta é a missão diária dos nossos Serviços Sociais que têm estado a trabalhar em todas as frentes, inclusivamente com novas respostas sociais e num trabalho de parceria, com todas as entidades locais que é um exemplo na região.

Este Fundo já tornou possível, por exemplo: integrarmos um projeto intermunicipal de aquisição de ventiladores e outros equipamentos que estão a chegar à região; adquirirmos equipamentos de proteção individual para ajuda a instituições, criármos os projetos de produção de viseiras que já distribuiu 4000 unidades e de confeção de máscaras sociais, que já alcançou as 18000 unidades! É também através deste Fundo que cerca de 2 centenas de refeições são entregues, diariamente, às famílias mais carenciadas e que em breve poderemos ajudar meia centena de famílias a pagar a renda de casa, através de um programa de apoio que estamos a lançar; e que estamos a apoiar a economia com um conjunto de isenções e benefícios, projetos e iniciativas.


NSB: No seguimento do plano de contingência da epidemia Covid 19, decidiu o Município de São Brás de Alportel suspender as obras municipais em curso. Como avalia essa paragem e qual o ponto de situação neste momento?

V.G.: Quando deflagrou a epidemia, a Câmara Municipal decidiu suspendeu as obras que estavam em curso e apelou a que todos o fizessem. Outras Câmaras não o fizeram. Pergunto qua a razão da medida e como é que está a decorrer o desconfinamento.

Na verdade, estando em causa a prevenção da propagação deste vírus morta, que ameaça a saúde e a vida dos são-brasenses, procurámos no município ir sempre um pouco à frentes das medidas estatais, antecipando algumas medidas e este é um bom exemplo disso. Entendemos que a prevenção é a melhor forma de conter este surto e que o município tem de ser um exemplo para toda a população.

Esta medida foi fundamental durante o período crítico de crescimento do número de contágios na região do algarve e nos concelhos vizinhos, e considerando que os 4 municípios com quem fazemos fronteira somam mais de 2 centenas de contágios confirmados, e que o nosso município apenas registou 2 casos , de contágio exterior ao concelho e até ao mesmo sem quaisquer cadeia de contágio ativa na população, afirmo que esta medida no conjunto com todas as outras medidas que o município tomou foi sem dúvida importante.

 

NSB: Mas já reiniciaram algumas obras. Quais?

V.G.:Após o término do estado de emergência, o município determinou que estavam reunidas as condições de segurança e proteção para reiniciar as obras municipais, o que aconteceu no passado dia 5 de maio. Estamos cientes de que o período de isolamento decorrido foi também essencial para que os empreiteiros definissem os seus planos de contingência e formassem os seus trabalhadores. Acreditamos que hoje todos estamos melhor preparados para evitar os contágios diretos e defendermo-nos dos contatos indiretos.

O prazo de execução destas obras será automaticamente prorrogado pelo período que os trabalhos estiveram suspensos. Aproveito ainda para agradecer a compreensão dos empreiteiros, assim como de todos os profissionais ligados ao ramo da construção civil que aplicaram medidas e suspenderam trabalhos de maior risco para trabalhadores e população em geral.

Ao longo desta semana, progressivamente estão a reiniciar os trabalhos na obra de construção do novo Terminal Rodoviário, do troço Sul da Av. Da Liberdade e do Área de Serviço para Autocaravanas, a arrancar as obras na Escola Básica n.º 2 e realizar um vasto conjunto de intervenções gerais nas vias e espaço público, que são da mais crucial importância nas vidas dos munícipes.

Gostaria, uma vez mais, de deixar uma palavra de agradecimento à comunidade são-brasense pelo Grande exemplo de união, solidariedade e civismo, a pelando a neste fase de progressiva retoma, se juntem ao movimento “Compre cá dentro! Ajude quem fechou as portas para o proteger!  Juntos vamos vencer!

Planos Municipais de Ordenamento do Território Mapas e Plantas de LocalizaçãoRegulamentos MunicipaisConsultas OnlineDiscussão PúblicaFarmácias de ServiçoGeoportalCovid-19