São Brás de Alportel... onde VIVER SABE BEM!

ver mais vídeos

Discurso Direto | Novembro 2022

PUBLICADO EM:14 de novembro

Notícias São Brás: Vemos os preços a continuar a subir e as rendas e empréstimos a aumentar. A Câmara Municipal já tem algumas medidas para esta crise?

Vítor Guerreiro: Na Câmara Municipal estamos muto atentos à evolução desta crise que já nos vem preocupando seriamente desde a eclosão da Guerra. O crescimento vertiginoso do preço da eletricidade foi o primeiro sinal de alarme, que está a ameaçar asfixiar as autarquias, com custos elevadíssimos… Podemos estar a falar de um aumento da fatura anual do município de São Brás de Alportel, superior a um milhão de euros, um valor muitíssimo elevado que pode colocar em causa investimentos em obras e manutenção de serviços. Este crescimento da inflação também tem trazido dificuldades ao nível do funcionamento dos equipamentos desportivos e até escolares. As aquisições dos alimentos para os Refeitórios Escolares são o exemplo disso com muita dificuldade para obter fornecedores, dada a insegurança dos preços. Estamos, em conjunto com as Câmaras do Algarve e também em sede de Associação Nacional dos Municípios à procura de soluções para minorar estes problemas, mas este é verdadeiramente um período muito difícil para a gestão das autarquias.

A nossa preocupação maior é naturalmente o bem-estar dos nossos munícipes e por isso estamos a acompanhar, no terreno, através dos nossos Serviços Sociais, a evolução da situação das famílias, assim como das empresas, procurando adequar as medidas e respostas sociais a esta realidade que tememos vir a agravar-se nos próximos meses. Para fazer face a esta crise, estamos já desde há algum tempo a reforçar a ajuda aos lares mais vulneráveis, ao nível da entrega de cabazes alimentares, dos vales de medicamentos e do Fundo Social de Emergência que tem sido fundamental para apoiar as famílias, em diversas situações.

Esta é uma crise que afeta todos e por isso estamos a preparar um novo pacote de medidas excecionais para minimizar os impactos da crise, tal como aconteceu no combate à pandemia e na anterior crise económica, em que foram lançadas algumas iniciativas de apoio à economia local que tiveram continuidade. Algumas das medidas que estamos a preparar terão início já em dezembro.

Na elaboração do Orçamento para 2023, um exercício muito difícil face ao contexto de crise e Guerra na Europa que estamos a atravessar, estas medidas são também uma prioridade.

 

NSB: Por falar em Dezembro, o que nos pode adiantar acerca do Natal? Temos iluminação nas ruas?

VG: Posso dizer-lhe que essa decisão foi particularmente difícil este ano, no contexto atual. Temos em curso um plano de eficiência energética a impor-nos poupança de energia, mas por outro lado temos um comércio local a atravessar sérias dificuldades e a viver uma das quadras natalícias mais difíceis, depois de dois anos de pandemia e num momento de crise económica.

Partilhámos a nossa preocupação também em sede de associação de municípios do Algarve e entendemos que este ano deveríamos optar por colocar alguma iluminação natalícia nas principais artérias da vila, à semelhança do ano passado, porque entendemos ser um contributo importante para a atratividade e dinâmica do comércio local, mas os efeitos natalícios terão uma redução de horário, de modo a reduzir os custos com energia.

Ainda no que se refere à quadra natalícia, teremos uma programação com momentos musicais de muita qualidade, com os grupos da nossa terra e uma nova campanha de promoção do comércio local, com sorteios semanais de vales de compras e com a realização da Noite Vermelha no dia 3 de dezembro.

Desde já agradecemos a todos os que contribuem para a economia local.

 

NSB: E em relação às obras da Avenida, já temos fim à vista?

VG: Atualizando a informação que trouxe no mês passado, é com muita satisfação que posso dizer e já está concluída a 2.ª fase da beneficiação do troço central, uma obra essencial para garantir plena acessibilidade a todos. Gostava ainda de esclarecer que na Câmara Municipal valorizamos muito a calçada, que é um elemento primordial do nosso património, no entanto hoje sabemos que nas zonas de circulação de peões, precisamos de dosear a sua utilização, utilizando também outros materiais, que garantem efetivamente a acessibilidade a pessoas com dificuldades de mobilidade.

Também se encontra em fase em conclusão a obra de beneficiação do troço mais a norte e subida da Passinha até Almargens, que veio permitir dar mais segurança a todos e começar a estender o circuito de acessibilidade para além do centro urbano.

 

Por falar em mobilidade, gostaria ainda de referir que está em curso mais uma empreitada de Pavimentação de Caminhos no concelho. Ano após ano realizamos uma nova empreitada para que, de forma faseada, possamos ir realizando as melhorias e manutenções necessárias à rede viária, que sabemos fundamentais para o bem estar das populações e para a dinâmica económica do concelho. São sempre muitas as solicitações e por isso esta gestão é faseada de modo a responder àquelas que são as intervenções mais prioritárias e rentabilizar melhor os recursos. Desde já agradecemos a melhor colaboração e compreensão de todos, lamentando não poder aceder a todos os pedidos de intervenção e de concretização de lombas que diariamente nos chegam e que precisamos de analisar e planear, de forma faseada.

Planos Municipais de Ordenamento do Território Mapas e Plantas de LocalizaçãoRegulamentos MunicipaisConsultas OnlineDiscussão PúblicaFarmácias de ServiçoGeoportalCovid-19